quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Coruja-diabo (Asio stygius)

ZOOLOGIA - 315
CLASSE DAS AVES - 202
ORDEM STRIGIFORMES - 3
FAMÍLIA STRIGIDAE - 1
GÊNERO ASIO - 1


ESPÉCIE: Coruja-diabo (Asio stygius) - Wagler, 1832 [LC].

              A Coruja-diabo (Asio stygius) ou Mocho-diabo é uma coruja da Família dos estrigídeos. 

Distribuição Geográfica
              Esta espécie ocorre localmente no México e Antilhas à região do ParaguaiBrasil e Argentina

Descrição
              Tais aves chegam a atingir 38 centímetros de comprimento, possuindo grandes penachos na cabeça, disco facial e partes superiores negras, partes inferiores estriadas e íris amarela.

Habitats
              Vive em áreas de cerrado e em florestas artificiais de pinheiros, na Amazônia, Centro-oeste, Sudeste e Sul.
Esta coruja ocupa uma variedade de folha caduca e verdes florestas e áreas abertas de floresta irregular. Ele vive do nível do mar até 3.100 metros acima.

Etimologia
              O Mocho-diabo recebe esse nome devido a sua coloração escura e pela cor vermelho brilhante dos olhos ao refletir a luz incidente, lembrando a figura de um "demônio". Os machos são normalmente menores e mais leves do que as fêmeas.
              Os meios adjetivo Stygian "do, ou relativo a, no rio Styx", mas é mais amplamente aplicada a tudo o que é escuro ou sombrio.


Dieta
              Esta espécie tem em uma variedade de presas, incluindo aves, pequenos MamíferosRépteis, Anfíbios, Crustáceos e Insetos. Toda a sua caça é feito à noite.

Reprodução
              A Coruja-diabo coloca dois ovos em ninhos feitos de varas, ou em ninhos criados por outras aves, mas ocasionalmente, eles fabricam os seus ninhos no chão, como seu parente, a Coruja-do-nabal.

Taxonomia
              Esta coruja não está globalmente ameaçada, embora o seu estado varia muito, em toda a sua gama. Vive na América do Sul e partes da América Central. Tem sido documentado por duas vezes a partir do Texas.

Galeria: 25.



























terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Inhambu-chororó (Crypturellus parvirostris)

ZOOLOGIA - 314
CLASSE DAS AVES - 201
ORDEM TINAMIFORMES - 1
FAMÍLIA TINAMIDAE - 1
GÊNERO CRYPTURELUS - 1


ESPÉCIE: Inhambu-chororó (Crypturellus parvirostris) - Wagler, 1827 [LC].

                O Inhambu-chororó (Crypturellus parvirostris), também conhecida popularmente no Brasil por inambuzinho e Xororó, em inglês: "Small-billed tinamou". 

Descrição
                É a menor espécie do seu Gênero, medindo cerca de 19 a 22 centímetros. 
Inhambu-chororó é de aproximadamente 22 centímetros de comprimento. Ele possui a parte superior de coloração marrom escuro, com cinza a marrom em peças e cabeça. Seu bico e os seus pés são vermelhos.

                Há pouco dimorfismo entre os sexos, tendo a fêmea o bico vermelho-carmim intenso, e maior porte. O macho tem o bico escurecido na ponta e vermelho esmaecido na base. A vocalização entre os dois sexos também é diferenciada.

Distribuição Geográfica
                É uma ave de vasta distribuição geográfica no Brasil, habitando campos sujos, capoeiras, plantações e divisas de pastos. Terrícola, alimenta-se de sementes. É ave cinegética. Ocorre ao sul do Amazonas, Pará ao nordeste, sudeste e sul do Brasil, também é encontrado no Peru, Bolívia, ParaguaiArgentina.

Vocalização
                Sua vocalização consiste numa sequência de notas em escala descendente. Adapta-se bem ao cativeiro, tendo ótima capacidade de reprodução, o que favorece ao repovoamento em áreas naturais.

Reprodução
                Sua postura consiste em 4 ou 5 ovos de coloração rósea-arroxeado.
                O macho incuba os ovos que podem vir de até quatro fêmeas diferentes, em seguida, irá criá-los até que estejam prontos para ser por conta própria, geralmente 2 a 3 semanas. O ninho está localizado no terreno em mata densa ou entre contrafortes raízes levantadas.

Dieta
                À semelhança de outros Inhambus, o Inhambu-chororó come frutas do chão ou arbustos de baixa altitude. Eles também comem pequenas quantidades de invertebrados, botões de flores, folhas tenras, sementes e raízes.

Taxonomia
                O Inhambu-chororó é uma espécie monotípicas. Todos os Inhambus são da família Tinamidae, e no esquema maior também são Ratites. Ao contrário de outras aves corredoras, os Inhambus pode voar, embora, em geral, eles não são pilotos fortes. Todas as ratites evoluiu de aves voadoras pré-históricas, e os Inhambus são o parente vivo mais próximo dessas aves.

Etimologia
                O Crypturellus é um Gênero formado a partir de três palavras latinos ou gregos. Kruptos que significa coberto ou escondido, oura significa cauda e Ellus que significa diminutivo. Portanto Crypturellus significa pequena cauda escondida.

Habitats
                O Inhambu-chororó prefere savana seca, mas também irá residir em matagal e planície. Seu alcance é amazônica da América do Sul; Brasil, exceto para a região sudeste, nordeste do Peru, leste da Bolívia, Paraguai e nordeste da Argentina.

Conservação
                A IUCN classifica esta espécie de Inhambu como pouco preocupante, [LC] com uma faixa de ocorrência de 6.700 mil quilômetros².

Galeria: 25.