domingo, 30 de março de 2014

Seriema-de-pernas-vermelhas (Cariama cristata)

ZOOLOGIA - 324
CLASSE DAS AVES - 211
ORDEM CARIAMIFORMES - 1
FAMÍLIA CARIAMIDAE - 1
GÊNERO CARIAMA - 1


ESPÉCIE: Seriema-de-pernas-vermelhas (Cariama cristata) - Linnaeus, 1766 [LC].


              A Cariama cristata é uma ave predadora terrestre da família das seriemas (Cariamidae), incluída antes na ordem "Gruiformes" mas cada vez mais colocada em uma ordem distinta - Cariamidae (juntamente com três famílias extintas). A Cariama cristata habita desde o Uruguai e os campos do sul do Brasil até o Cerrado, o Pantanal e o sul da Amazônia e atinge também o norte da Argentina. A sua área de ocorrência é estimada em 5,9 milhões de km². A espécie está ausente da Mata Atlântica e das terras altas do planalto ao longo do litoral do Brasil.

Outros Nomes
  • Sariema, 
  • Seriema,
  • Siriema.
Descrição
              Tem 75 a 90 centímetros de comprimento, com pescoço, cauda e pernas razoavelmente longos. A plumagem é marrom médio, com manchas pretas em cima, marrom claro na cabeça, no pescoço e no peito e branca na barriga. A cauda tem uma faixa preta perto da ponta, que é branca. O bico e as patas são vermelhos e os olhos amarelos. Da base do bico emergem penas suaves que dão forma a um penacho em forma de leque.

              Muitas características são compartilhadas com a Chunga burmeisteri, o único outro membro vivo da família. O canto é descrito como "um cruzamento entre o latido "serrilhado" de um cão jovem e o cacarejar de perus". Na parte mais alta da música, a ave dobra o pescoço, de modo que a cabeça toca as costas. Ambos os membros de um par, assim como os jovens até a idade de duas semanas, cantam. Por vezes, um membro da família começa uma música apenas quando um outro termina, ou cantam dois ao mesmo tempo. A canção pode ser ouvida por vários quilômetros de distância. No Parque Nacional das Emas, em 1981-1982, os observadores ouviam frequentemente quatro Cariama cristata ou grupos cantando ao mesmo tempo.

Galeria: 23.
























sexta-feira, 28 de março de 2014

Ganso-africano (Anser cygnoides)

ZOOLOGIA - 323
CLASSE DAS AVES - 210
ORDEM ANSERIFORMES - 39
FAMÍLIA ANATIDAE - 38
GÊNERO ANSER - 2


ESPÉCIE: Ganso-africano (Anser cygnoides) - Linnaeus, 1758 [EN].

              O Ganso-africano (Anser cygnoides) é uma ave anatídea em perigo de extinção no estado selvagem, em virtude do alto grau de domesticação de difusão ao longo de vários países.

              O Ganso-africano ocorre na EurásiaÁfrica. É uma ave migratória, com zona de nidificação natural é na Mongólia, zona Norte da China e zona sul da Federação Russa. Esta espécie vive ao longo de charcos, lagos e rios próximos a campinas e pradarias. Vivem cerca de dezoito anos, atingindo sua maturidade sexual no primeiro ano. Os casais que se formam duram pela vida toda. Fazem seus ninhos no solo, podendo colocar até quarenta ovos por ninhada. Alimentam-se de gramíneas, folhagens, sementes, frutos e pequenos insetos. São presas freqüentes de raposas, felinos e aves de rapina.

              Os gansos-africanos são apreciados e admirados no mundo todo, seja pela culinária (em França são a fonte do fois gras) como pela inúmera gama de atributos e simbologias que lhes são conferidos.

Simbologia
              Na China, o ganso-africano, ao contrário do ganso-doméstico que significa fidelidade conjugal, era o sinal de que a mulher deveria abrir mão de seu pudor sexual diante de seu homem, revelando também uma conotação de sexualidade e fertilidade dessa ave.

              No Egito Antigo, os Gansos-africanos eram vistos como mensageiros entre o céu e a terra, como também o símbolo da chegada da primavera, a ponto de se fazerem rituais de solturas de quatro gansos, um em cada ponto cardeal para celebrar a ascensão de um novo faraó.

              A constante vigilância dos Gansos também deu a eles o cargo de sentinelas, que é usado desde a Roma antiga quando se criavam gansos ao redor de templos sagrados, como nos dias de hoje se faz em locais estratégicos com avançadíssimos sistemas de segurança como a ANASA no Estados Unidos.

              Na Rússia o Ganso é a forma metaforizada de mulher desejada e em muitas culturas ocidentais é símbolo de carinho e amor maternal, a exemplo dos Contos da Mãe Gansa.

Galeria: 28.